sábado, fevereiro 18, 2006

Abrupto, no verdadeiro sentido da palavra

O José Pacheco Pereira surpreende-me constântemente pelo melhor e pelo pior! Desta vez, prevalece o que de mau consegue ao publicar uma espécie de "regras" sobre a blogoesfera! Contudo, embora as intitule assim, esclarece depois que afinal não se tratam de regras mas sim de "constatações, que descrevem o modo como os debates na blogosfera se desenrolam". Ora muito bem Pacheco, desculpas aceites... Mas depois diz ainda: "são genéricas e universais". E é então que me dá vontade de rir! Á gargalhada!!
Caro Pacheco Pereira: mas o que é que interessa o que o senhor pensa sobre s normas de conduta dos debates na blogoesfera? Mas o que é que interessa, diga-me! Ou não será a blogoesfera precisamente a ausência de considerações semelhantes? Ou quer evidenciar-se? Ou quer criar discipulos virtuais? Diga-me... é que não sou o único a não perceber. Ou se calhar melhor será dizer que não o único a perceber perfeitamente! Percebe?!

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Aos muitos Pina Maniques de hoje...


Com aquela paixão, aquela insânia,
Que arrasta os homens ao nível dos brutos?
Que ideia, diz, tens da Divindade?
Confessas que é delito aos semelhantes
Traçar danos crueis, injustos males,
E pretendes sem culpa assinar-lhe
A virtude, roubando-lhe a inocência?
Indigno, incosequente, mentecapto,
Das luzes da razão abandonado,
Que dogmatizar queres vãos delírios
Que a outros opostos, e que ofendem
Natureza, Razão e Divindade;
Degradas o teu ser, consentindo
Que haja além do sepulcro Eternidade.
Aviltas a Razão, supondo-a digna
De aprovar o teu delírio extravagante;
A Divindade ofendes, quando a pintas
Com atributos, que lhe são contrários.
Esconde a face, e nunca as claras luzes
Vejas do céu, cuja existência negas;
Sepultado nas trevas da ignorância,
A que te guiam voluntários erros,
Costuma-te aos horrores desse abismo,
Em que apesar de o teres por quimera,
Confesserás um dia, mas já tarde,
Não ser uma ilusão a Eternidade.

Conhece-te a ti mesmo

Quando estamos perdidos na confusão dos factos,
Quando o nevoeiro nos cai sobre a vida,
Quando já é tarde,
Para adivinhar um rumo.
Quando já é noite a Ocidente, Têm um hábito:
Contratam-me para clarificar a realidade.

Fernando Carvalho Rodrigues in Convoquem a Alma

Leiam, Leiam... Ler Ilumina os espíritos


Lido e Recomendado:

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Setúbal e Tudo



Setúbal, ano da graça 2006 (6006). É noite. Em Setúbal esta noite não vou a lado nenhum. Esta noite, não quis ir. Tinha um jantar "importante para ir". Tinha um local para aprender. Tinha pessoas para olhar, pessoas para estudar.

Hoje estaria em Palmela, não estive porque não quis. Preferi não ir às Luzes. Fiquei sem elas. Fiquei mais pobre...

Estar em Setúbal é estar e ir estando, numa aparente desordem, onde a ordem é aparentemente desordenada e onde nem o tempo pergunta ao tempo quanto tempo o tempo tem. Jogo pobre de palavras este! É bem verdade, aqui em terras de Bocage, nem Agostinho da Silva, em passado documentário que esta semana teve lugar no auditório Charlot, teve gente.

A gente que saiba que há actividade cultural, a gente que é gente profana, a gente que é gente, sem lugar Reservado no meio da sala, meio cheia, ou meio vazia?!?

Neste "Wild West", tal como Pacheco Pereira in Abrupto afirma, as leis que parecem indo estabelecer-se em redor dos bloguistas, ou blogueiros, como lhes queiram chamar é por demais evidente. Ora este blog Integral, não foge à regra, aliás é disso mesmo a regra. Como já disse um dia, célebre pensador que tive (e tenho) o prazer de conhecer pessoalmente, " (...) é aquilo que é, e que não pode deixar de ser (...)"

Pode pode, claro que pode, e fica descansado, porque eu não o vou negar. Nunca o nego, a Ele. Porque mesmo negando-o, tu sabes. Vou estar a reconhecer a sua existência.

Pois é, afinal este blog é o quê? Para ti deixo as respostas jornalisticas, as minhas sim sim sim, ohhh, são daquelas, em que se enche a boca parlamentar, das sinergias e do olhar sociológico. Fica sempre tão bem não fica?! Venha lá daí, um "Muito bem, muito bem".

Cristão é o que é este blog. Apetece-me que seja, é. Sim, o blog, dos amiguismos, o blog do Reaportuguesar Portugal, seja lá isto o que for. Direita sim, há lá mal nisso. Não a do PNR, a outra, aquela do PSD verdadeiramente Carneirista, ou da Causa. Não a bacilenta, a outra, a da juventude radiosa e atenta, aquela que recebe a Luz e recebendo-a a quer tanto irradiar a Portugal.

E porque não Setúbal, a terceira cidade do País? Oh mestres, não é impossível, ou serão apenas sonhos neófitos de 21 anos?

p.s.: O professor Adelino Maltez, bem quer, bem quer, mas não mudam a Capital do Reino.

DENUNCIANDO: o terrorismo do Carrefour


"Dear Clients: We express solidarity with the Islamic & Egyptian Community. Carrefour don't carry Danish products".


E que tal boicotar o Carrefour?!
(by O Insurgente)

Representando Maomé (II)

terça-feira, fevereiro 14, 2006

Representando Maomé (I)


Maomé no Inferno: Fresco de 1415 de Giovanni da Modena na Basílica de São Petrônio em Bolonha.

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Revisionismos

Passou esta noite na 2: mais um "Diga lá Excelência", programa da Rádio Renascença e do jornal PÚBLICO. O convidado foi o Sr. Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP.
Como habitual, no final lançaram algumas palavras para, em resposta, o Sr. Jerónimo dizer a primeira coisa que lhe assaltasse a mente. A "Estaline" ripostou, ipsis verbis: "um momento histórico".
De hoje em diante sinto-me definitivamente legitimado, quando confrontado com "Hitler", a responder precisamente o mesmo... "um momento histórico"!