domingo, maio 07, 2006

Neo Libertas

Faz muito pouco tempo um professor universitário disse numa sessão a que S.AR. D.Duarte assistiu que, quando existem problemas do foro da justiça em Portugal, é como se só existissem apenas dois homens capazes de oferecer soluções ao País, o Prof. Doutor Jorge Miranda e o Prof. Doutor Gomes Canotilho.
Faz muito que esse mesmo professor universitário vai desbastando a bruta pedra que teima em não partir de forma mais talhada e mais perfeita, mais equilibrada e sobretudo mais acertiva quanto aos seus objectivos que deveriam certamente originar resultados mais profícuos.
Faz muito tempo que o grande humanista, docente universitário, grande monárquico e demais outras "coisas" que este grande homem do Reino é e de ensina e ouve, se faz pregar. Inclusivé na casa mãe da República onde a Assembleia da mesma determina futuros do rectângulo.
É sem dúvida um continuador do trabalho de outros que por se acharem homens de um Integralismo, por se acharem homens de um caminho onde se podia ir Restaurando, se acharam homens vencidos da vida.
Mas, porque mesmo que haja quem ache que esse caminho é errado, porque mesmo que haja ainda quem levante a voz num canto achando que existe saudosismo de um anti-semitismo (quando ele nunca, nunca, mas nunca existiu nos principios de quem defende a liberdade com todas as forças), pergunta-se então quem pode crer que o Prof. Doutor Adelino Maltez preconize tal doutrina? Será possível que exista quem julgue no seu julgar interno de visitador da blogsfera livre de pensamento, que a juventude que se vai solidificando mais Real não cre na liberdade enquanto elemento basilar de qualquer sociedade?
Assim se entende muitas vezes que a juventude não vá a jogo.
Porque têm certamente que ser os ouvidores de quem sabe, porque têm certamente os jovens que aprender.
Isso ninguém questiona.
Mas não pode ser normal os ouvidos moucos de quem finca entrincheirado no passado! De quem internamente se encerra numa quadratura de ziguezagues em que por demais urge ouvir os recém chegados, em que por demais urge renovar, em que por demais urge a criação de uma "comissão do agora ideológico", sob pena de se perderem novos quadros.
Se tudo já existe, então que exista intensamente no exterior de papéis, para existir na exterioridade de um povo, para que toda uma sociedade a sinta na sua interioridade pessoal e se sinta mais esclarecido quanto aos seus modos de chefia de estado.
Assim não dá.
Assim é muito agradável estar-se, mas assim não se sai do estar e não se é!
Não se cumpre. Não se cumpre um Portugal a haver.
Ser Integral é um caminho. Há muitos. Há muitos e bons, há por ai muita gente que sabe como.
Abra-se o compasso, siga-se a eito.
Cumpra-se Portugal. Será vergonha ser-se Neoportuguês???

3 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Refere-se ao europeísta, federalista, liberal, social-democrata, defensor do aborto, Prof. Maltez?

2:38 PM  
Blogger Mestre de Avis said...

Estou a ver que não sou o único Mestre de Avis na blogosfera.

Bom blog.
Vou-vos linkar.

Cumprimentos e continuação de um bom trabalho.

http://imperiolusitano.blogspot.com/

11:21 AM  
Blogger Fidalgo said...

Ser europeista é tão natural, como ser portugues. Não se deve remar contra o passado, é anti-natural. O governo Monarquico, que abraço carinhosamente, devia inspirar-se na governação Liberal de D. Luís I um dos nossos melhores e mais esquecidos monarcas...

É assim que se projecta o futuro, meus sonhos. Deixe-mo-nos de utopias! Um conselho do vosso Fidalgo...

1:06 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home