quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Setúbal e Tudo



Setúbal, ano da graça 2006 (6006). É noite. Em Setúbal esta noite não vou a lado nenhum. Esta noite, não quis ir. Tinha um jantar "importante para ir". Tinha um local para aprender. Tinha pessoas para olhar, pessoas para estudar.

Hoje estaria em Palmela, não estive porque não quis. Preferi não ir às Luzes. Fiquei sem elas. Fiquei mais pobre...

Estar em Setúbal é estar e ir estando, numa aparente desordem, onde a ordem é aparentemente desordenada e onde nem o tempo pergunta ao tempo quanto tempo o tempo tem. Jogo pobre de palavras este! É bem verdade, aqui em terras de Bocage, nem Agostinho da Silva, em passado documentário que esta semana teve lugar no auditório Charlot, teve gente.

A gente que saiba que há actividade cultural, a gente que é gente profana, a gente que é gente, sem lugar Reservado no meio da sala, meio cheia, ou meio vazia?!?

Neste "Wild West", tal como Pacheco Pereira in Abrupto afirma, as leis que parecem indo estabelecer-se em redor dos bloguistas, ou blogueiros, como lhes queiram chamar é por demais evidente. Ora este blog Integral, não foge à regra, aliás é disso mesmo a regra. Como já disse um dia, célebre pensador que tive (e tenho) o prazer de conhecer pessoalmente, " (...) é aquilo que é, e que não pode deixar de ser (...)"

Pode pode, claro que pode, e fica descansado, porque eu não o vou negar. Nunca o nego, a Ele. Porque mesmo negando-o, tu sabes. Vou estar a reconhecer a sua existência.

Pois é, afinal este blog é o quê? Para ti deixo as respostas jornalisticas, as minhas sim sim sim, ohhh, são daquelas, em que se enche a boca parlamentar, das sinergias e do olhar sociológico. Fica sempre tão bem não fica?! Venha lá daí, um "Muito bem, muito bem".

Cristão é o que é este blog. Apetece-me que seja, é. Sim, o blog, dos amiguismos, o blog do Reaportuguesar Portugal, seja lá isto o que for. Direita sim, há lá mal nisso. Não a do PNR, a outra, aquela do PSD verdadeiramente Carneirista, ou da Causa. Não a bacilenta, a outra, a da juventude radiosa e atenta, aquela que recebe a Luz e recebendo-a a quer tanto irradiar a Portugal.

E porque não Setúbal, a terceira cidade do País? Oh mestres, não é impossível, ou serão apenas sonhos neófitos de 21 anos?

p.s.: O professor Adelino Maltez, bem quer, bem quer, mas não mudam a Capital do Reino.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home